1.   
    Home
  2.  > 
    Pílulas Hyundai
  3.  > 
    Sistema de freios do veículo: o que é preciso saber sobre o tema?

Pílulas Hyundai 28/05/2021

Sistema de freios do veículo: o que é preciso saber sobre o tema?

O sistema de freios do veículo é um item que afeta significativamente a segurança ao dirigir. Por isso, entender como ele funciona e conhecê-lo bem são requisitos indispensáveis para manter o automóvel sempre em ordem e, assim, não colocar sua vida em risco.

Dos variados sistemas que compõem um veículo, o de frenagem está entre os que mais sofreram modernizações e atualizações nos últimos anos, e é claro que isso garante muito mais segurança e conforto aos passageiros.

Quer saber como esse sistema funciona, qual importância da manutenção e os principais componentes? Então é só continuar lendo o texto para conferir tudo em detalhes! Aproveite e boa leitura!

Como funciona o sistema de freios de um veículo?

Esse sistema é composto por diversos itens que estão sempre trabalhando em conjunto a fim de desacelerar e de parar totalmente um veículo. Ele também tem a função de manter o automóvel parado quando está estacionado. De forma geral, esse sistema conta com dois modos de acionamento manual: a alavanca e o pedal, com exceção dos veículos adaptados para as pessoas com deficiência.

Para que você entenda melhor o princípio básico de como esse sistema funciona, vamos usar como exemplo o sistema de frenagem de um automóvel padrão, com tambor na traseira e freio a disco na dianteira. Isso porque esse é o modelo mais encontrado nos veículos comercializados aqui no país.

Os freios a disco funcionam por meio da utilização das pastilhas, que são sustentadas dentro de uma pinça hidráulica, recebendo a pressão para fazer a frenagem. Tais pastilhas geram um atrito em um disco, o que faz o veículo parar definitivamente.

O freio a tambor é outro tipo, sendo mais antigo e dependente das famosas lonas para causar o atrito na roda e parar o veículo. Um cilindro hidráulico faz as lonas se movimentarem dentro do tambor, que é uma parte oca presa com parafusos e acoplada às rodas. Esse tipo de freio está nas rodas traseiras, para os modelos mais comuns.

Quais são os principais componentes do sistema de freios?

Cada componente tem funções específicas. Portanto, é essencial conhecer os itens para facilitar o entendimento do funcionamento do conjunto. Veja, a seguir, os principais!

Cilindro mestre

Esse item tem um ou dois pistões e forma cilíndrica. Além disso, ele conta com um reservatório para fluido. A responsabilidade desse componente é fazer a conversão de força mecânica em pressão hidráulica. Normalmente, ele é fabricado em alumínio ou em ferro fundido.

Pedal de freio

Quando falamos sobre acionamento do freio, a peça de que mais lembramos é o pedal. Afinal, essa é a única peça com a qual o condutor do veículo tem contato ao dirigir. O funcionamento é bem familiar e básico: assim que o pedal é acionado, as rodas do automóvel recebem um bloqueio.

Cilindros de roda

Esse componente faz parte do sistema tambor e sua função é movimentar as sapatas. Esse processo é realizado por meio dos pistões que, assim que acionados pelo fluido, empurram as lonas contra o tambor. Isso faz com que as rodas parem.

Pistão

A função desse item é empurrar as pastilhas contra o disco. Elas fazem seu trabalho quando o motorista toca o pedal, pois o fluido de freio é comprimido, criando uma pressão bem alta na linha de freio.

Assim, essa alta pressão leva o cilindro a se deslocar, fazendo força contra as pastilhas. Para isso acontecer corretamente, é preciso ter uma peça que reúna e fixe o conjunto todo: a pinça de freio.

Pinça de freio

Esse componente é o atuador de todo o sistema a disco. Ele serve como proteção e suporte para as pastilhas. A função dele é pressionar as pastilhas contra o disco a partir de um ou mais cilindros com pistões internos.

Pastilhas

Esse é um item de fricção. Logo, é uma das peças principais que têm a responsabilidade de desacelerar, já que a geração de atrito acaba aumentando a resistência contra o deslocamento. Assim, o automóvel perde velocidade.

Alavanca

Esse é o segundo item de acionamento dos freios. Porém, quando ele é acionado, provoca apenas a frenagem das rodas traseiras do carro. É exatamente por essa razão que o freio de mão só é recomendado para deixar o automóvel parado, e nunca para diminuir a velocidade.

Tambor

Esse é um componente que tem função semelhante à do disco de freio: gerar atrito para conseguir desacelerar o carro. O formato do tambor é bem parecido com o de uma panela e, geralmente, está nas rodas traseiras do carro. Na maioria das vezes, ele é fabricado em ferro fundido.

Qual é a importância da manutenção do sistema de freios?

Como você viu, o sistema de freios é um dos elementos de segurança mais relevantes de um veículo. Por isso, realizar a manutenção regularmente evita que alguns defeitos se tornem mais graves e, claro, é uma forma de zelar pela segurança do motorista, dos passageiros e de outras pessoas no trânsito.

O motorista, portanto, tem que ficar bem atento a todos os sinais que o veículo apresenta quando há algo de errado com os freios. No entanto, é imprescindível que as manutenções preventivas sejam feitas para evitar problemas. Essa manutenção não é somente um ato de cuidado com o automóvel, mas também uma prática de responsabilidade social.

Até porque, manter o veículo com as manutenções em dia vai impactar positivamente a segurança de muitas pessoas que também estão nas estradas. Com todos os componentes em ótimas condições, você passa a ficar tranquilo, pois sabe que não está colocando a vida das pessoas em risco.

Mas a necessidade da manutenção vai muito além disso. É preciso lembrar também da generalização do desgaste. É comum a qualquer conjunto mecânico que o funcionamento correto dependa da ação precisa e totalmente coordenada entre diversas peças, executando as suas funções nas intensidades e nos tempos adequados.

Portanto, ao dirigir o veículo com os freios gastos, você provoca, indiretamente, a deterioração de outros componentes. Assim, com o passar do tempo, começa a notar desgastes nos elementos de suspensão, no motor e nos pneus. Somando todos esses fatores prejudiciais, seu carro pode passar a ter um consumo muito alto de combustível, ou seja, o custo fica bem mais caro.

Então, não deixe de fazer a manutenção preventiva, pois ela vai permitir antecipar vários problemas e evitar que as falhas bem pequenas passem a ser uma grande dor de cabeça. 

Com que frequência essa manutenção deve ser feita?

Cada fabricante indica um tempo específico para fazer a manutenção dos componentes do sistema de freios. Por essa razão, é fundamental que você leia o manual do proprietário para obter todas essas informações.

Os elementos presentes no sistema de freios têm graus de desgaste bem diferentes. Logo, eles vão precisar de reparos ou até de uma substituição completa em momentos distintos.

O recomendado é que as manutenções sejam feitas a cada 10.000 km rodados. No entanto, é preciso entender que isso é só uma noção básica, pois especificidades relativas ao uso do veículo mudam essa estimativa. Em alguns casos, pode ser necessário antecipar, por exemplo.

Se houver um mau funcionamento em alguns dos componentes, o ideal é solicitar a avaliação de um profissional para ver se é necessário ou não fazer a troca. Vale lembrar que, durante as revisões, o disco de freio e a pastilha merecem uma atenção especial. Portanto, fique de olho nessas peças importantes.

Bom, agora você já sabe como o sistema de freios automotivo funciona e pôde notar por que é importante sempre mantê-lo em ordem. Então, jamais se esqueça de realizar a manutenção preventiva no seu veículo. Não coloque a sua vida e de muitas outras pessoas em risco.

E aí, gostou do texto? Quer aproveitar para já deixar agendada a sua manutenção preventiva? Então, não perca tempo e entre em contato conosco agora mesmo!

Sigam as nossas redes:

Veja também