1.   
    Home
  2.  > 
    Imprensa
  3.  > 
    Mulheres Esporte

Imprensa 06/06/2019

Empoderando as mulheres pelo esporte.

Copa do Mundo de Futebol Feminino é mais um passo na luta pela igualdade de gênero

A Copa do Mundo de Futebol Feminino da FIFA chega à sua oitava edição, disputada entre 7 de junho e 7 de julho de 2019 na França. Serão 24 seleções em busca do título, incluindo o Brasil, com a perspectiva de estádios lotados - até abril, mais de 750 mil ingressos haviam sido vendidos pela internet, cifra jamais registrada nos eventos anteriores – e da maior cobertura jornalística de todos os tempos.

A Hyundai, que é parceira da FIFA desde 1999, mantém o patrocínio master como a empresa automotiva oficial desde 2002 e vai oferecer transporte terrestre a bordo de seus veículos a todas as seleções durante a competição. A Copa do Mundo de Futebol Feminino é um dos eventos mais importantes do calendário esportivo mundial, que mobiliza e emociona milhões de pessoas nos quatro cantos do globo. Mas é, acima de tudo, uma forma de, através do esporte, empoderar as mulheres. Afinal, o futebol foi durante muito tempo visto como exclusivamente masculino, seja na torcida ou dentro de campo. No Brasil, por exemplo, mulheres jogando futebol em caráter oficial é um fato recente, que data dos anos 1980. Antes disso, embora já acontecessem partidas e campeonatos esporádicos, a prática era tratada de forma ostensivamente jocosa. Nos jornais das décadas de 40 e 50, quando uma partida feminina era noticiada, adjetivos como "curiosa" e "cômica” eram os mais utilizados para descrevê-la. E o exemplo brasileiro não era exceção. Basta lembrar que, enquanto o torneio masculino viu sua primeira edição acontecer em 1930, a Copa do Mundo de Futebol Feminino foi disputado pela primeira vez em 1991, quando a bola rolou na China e teve os Estados Unidos como campeão. Mas, ainda assim, passou quase que despercebida, com estádios vazios e uma pífia cobertura da mídia. Mas aquele embrião cresceu progressivamente ao longo das edições seguintes. No Canadá, em 2015, o evento bateu recorde de público, com mais de 1 milhão de pessoas acompanhando as partidas ao vivo. No geral, o futebol feminino vive um belo momento de consolidação. Nunca é demais lembrar que lugar de mulher é onde ela quiser – neste contexto, em campo, na torcida, apitando os jogos, comentando e transmitindo as partidas... Presente em todos as Copas disputadas até hoje, mas ainda em busca do seu primeiro título mundial, o Brasil estreia dia 9 de junho, contra a Jamaica, em Grenoble. Na sequência, encara Austrália, dia 13 em Montpellier, e Itália, dia 18 em Valenciennes.