1.   
    Home
  2.  > 
    Descubra
  3.  > 
    Descarte correto do lixo protege coletores e preserva o meio ambiente

Descubra 05/06/2020

Descarte correto do lixo protege coletores e preserva o meio ambiente

Confira orientações importantes para evitar contaminação

O trabalho de coleta de resíduos sólidos não parou durante a pandemia da covid-19 e das medidas de distanciamento social. Trata-se de uma atividade essencial para a preservação da saúde pública e do meio ambiente.

Dia Mundial do Meio Ambiente

Nesta semana em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, é importante lembrar de recomendações que devem ser seguidas à risca para preservar a saúde dos coletores de resíduos, tanto os que trabalham em condomínios quanto os que atuam nos serviços públicos e continuam circulando pelas ruas de todo o país. A saúde desses profissionais, que compõem uma das categorias expostas ao risco diário de contaminação, não pode ser negligenciada.

Procedimentos de reciclagem

Para famílias que estão cumprindo quarentena em casa, sem integrantes comprovadamente contaminados ou com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus, os procedimentos de reciclagem continuam válidos: itens de vidro, plástico, metais e papel devem ser separados do restante do lixo. Mesmo com os catadores sendo impedidos de trabalhar pelas circunstâncias, os caminhões de coleta seletiva continuam rodando em cidades como São Paulo. De acordo com as empresas que operam o sistema, todo o material está sendo processado com o mínimo de contato físico. Com mais gente permanecendo mais tempo em casa, aumentou, e muito, a quantidade de material reciclável em São Paulo. Na comparação entre os 15 primeiros dias de abril deste ano e o mesmo período de 2019, o acréscimo no volume recolhido chegou a 25%: 4 mil toneladas, contra 3,2 mil toneladas no ano passado.

Lixo gerado pelas pessoas contaminadas

De acordo com as normas internacionais estabelecidas durante a pandemia, os procedimentos de acondicionamento de resíduos devem ser adaptados pelas famílias com pessoas comprovadamente contaminadas ou com suspeita de covid-19. Nesses casos, é preciso redobrar a atenção com o lixo gerado dentro de casa, para evitar a contaminação de outros componentes da família e também dos profissionais que trabalham na coleta dos resíduos. A separação de recicláveis deve ser interrompida, com todos os resíduos sendo descartados em um mesmo recipiente, como lixo comum. O acondicionamento deve ser feito com o uso de dois sacos plásticos resistentes, um dentro do outro, certificando-se de que ambos estão devidamente fechados, com nós ou lacres. As pessoas da casa que não estão em quarentena podem dispor os sacos para coleta nos dias e horários determinados pelo serviço local de coleta. Por precaução, animais devem ser mantidos distantes dos materiais descartados. Para as famílias sem confirmação do diagnóstico e sem suspeita de contaminação por covid-19, a recomendação é continuar fazendo a separação dos materiais para coleta seletiva, com uma ressalva importante: máscaras e luvas usadas devem ser descartadas no lixo comum.

Trabalho essencial

“A prestação dos serviços de limpeza urbana é essencial para a proteção do meio ambiente e da saúde humana, e não pode ser interrompida, mesmo durante processos epidêmicos", lembra o diretor-presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), Carlos Silva Filho. "Esses serviços contribuem para prevenir a transmissão do coronavírus e de outras doenças e endemias que podem afetar a imunidade das pessoas, o que seria uma agravante no quadro atual."

Vários outros grupos de trabalhadores estão expostos ao risco de contaminação pelo coronavírus, principalmente os profissionais de saúde. Em abril, no Dia Mundial da Saúde, esses profissionais receberam muitas homenagens em várias partes do mundo.

Sigam as nossas redes:

Veja também