1.   
    Home
  2.  > 
    Pílulas Hyundai
  3.  > 
    Guia rápido da compra de carros: tudo o que você deve saber!

Descubra 27/11/2020

Guia rápido da compra de carros: tudo o que você deve saber!

Com tantas informações disponíveis, as desculpas para fazer uma compra e se arrepender são cada vez menores. Isso vale para qualquer transação: das mais básicas, como procurar uma blusa em um e-commerce, até a compra de carros. Afinal, quanto maior o investimento necessário, maior deve ser o seu cuidado para que a sua decisão seja embasada e, assim, mais precisa, certo? Mas o que precisa ser considerado ao escolher um automóvel? Assim como o design tem um papel fundamental para acertar na sua escolha, é importante não limitar a sua pesquisa. As informações técnicas, por exemplo, podem ser primordiais para que a sua decisão seja positiva. Imagine que você precisa de um carro para pegar a estrada regularmente — então como focar apenas na aparência? Todos os detalhes precisam ser levados em consideração durante a compra de um carro. Quanto mais detalhes você descobrir sobre os veículos que deseja conhecer melhor, maiores são as suas chances de fazer a escolha certa. Que tal, então, tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto e descobrir quais são os fatores a serem analisados? Continue a leitura deste guia rápido para conferir!

Qual é a importância da análise durante a compra de carros?

Atenção aos barulhosOs veículos precisam da revisão para se manterem em perfeito estado, o que já foi destacado ao longo do artigo. Quando isso não acontece, é comum que barulhos surjam, indicando problemas. Por essa razão, fique atento caso note que o som do carro não é parecido com o tradicional. Isso pode indicar a necessidade de trocar alguma peça ou mesmo alguma pequena falha, que poderá ser resolvida com facilidade. Logo, quando perceber alguma inconformidade, busque logo fazer a revisão.

Nada é mais frustrante do que realizar uma compra e, com determinado tempo de uso, acabar se arrependendo da transação, certo? Se isso vale após um almoço em um restaurante, imagine quando falamos de investimentos ainda maiores, como automóveis? Fazer uma compra sem uma pesquisa prévia é uma prática que ninguém deveria adotar e que poucos têm o luxo de poder fazer. Mas, no fundo, ninguém gosta de perder dinheiro, ainda mais com um carro, que vai sempre fazer com que você se lembre do seu erro. Dessa forma, é essencial criar um planejamento para realizar uma análise completa das suas opções de compra. Defina os seus objetivos e considere as suas preferências, mas é fundamental conhecer tudo sobre o veículo antes de finalizar a transação. Quando você realiza uma pesquisa prévia, toda a sua experiência de compra tende a ser positiva. A probabilidade de ficar satisfeito com a sua transação é muito maior. O design vai ser o que você deseja, o motor vai suprir as suas necessidades e, é claro, o investimento vai caber no seu orçamento. Todos esses detalhes devem ser avaliados para garantir a escolha adequada. Afinal, um veículo que não exige um investimento inicial tão alto, por exemplo, pode representar um consumo elevado de combustível a longo prazo. Ou seja, o que era uma opção mais econômica pode ser, na verdade, a mais cara. O mesmo vale para gastos com manutenção ao escolher um veículo que não é indicado, por exemplo, para enfrentar a estrada com frequência. Por isso, é importante colocar todos os detalhes no papel e comparar cada um deles para uma decisão mais acertada. Assim, é fundamental saber quais são os fatores relevantes. Por mais que existam algumas regras que permitam a devolução após uma compra — segundo o Código de Defesa do Consumidor —, é melhor não apostar apenas nessa alternativa.

O que avaliar na hora de comprar um carro novo?

Como a pesquisa durante a compra de carros é tão importante, que tal, então, conferir os detalhes mais relevantes a serem observados? Por isso, preparamos essa lista com os principais pontos que não podem ser deixados de lado no processo de escolha do seu novo veículo. Confira!

Planeje a compra de acordo com seu orçamentoO primeiro fator que deve ser levado em consideração é o seu orçamento. Afinal, nenhum veículo, por melhor que seja, vale o preço de uma dívida. Portanto, antes de iniciar o seu processo de compra de carro, é necessário fazer as contas de quanto você tem disponível, o que pode ser utilizado sem prejudicar a sua família e, é claro, as necessidades para o seu veículo. De acordo com o panorama do mercado, essa é uma tendência cada vez menor. Segundo uma pesquisa da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), mais de 80% dos consumidores não planejam fazer um financiamento para a compra de um veículo. Isso representa uma forma de consumo mais consciente e, mais importante, com planos para comprar aquilo que é possível. A boa notícia é que existem opções de veículos dos mais variados preços e com funcionalidades parecidas. Dentro de cada categoria, existem automóveis para os diferentes orçamentos. Por isso, antes de iniciar o seu processo de compra, é fundamental definir a quantia a ser investida. Essa já é uma primeira maneira de filtrar os carros que você pode ou não pode comprar.

Escolha o carro que combina com vocêJá descartou aqueles veículos que não cabem no seu orçamento? Excelente, agora é hora de colocar os seus gostos e preferências como critério para análise. Afinal, antes de qualquer outra coisa, o carro precisa combinar com você, certo? De nada vai adiantar ter o melhor motor ou consumo de combustível com melhor custo-benefício se toda vez que entrar no carro o arrependimento surgir. Por isso, é importante encontrar um modelo que seja de acordo com o seu gosto e as necessidades do seu dia a dia. Para quem é solteiro, por exemplo, um carro menor pode ser o ideal, mas caso seja um veículo para uma família com crianças pequenas, a opção deve ser maior. Portanto, defina qual é o tipo de automóvel necessário e comece a reduzir ainda mais as possibilidades de investimento. Com tantas opções nos mais variados preços, não é desculpa comprar um carro que não combine com você. Coloque as suas prioridades no papel e comece a busca a partir desses critérios. Em um processo tão importante, definir essas características também é uma forma de acelerar a sua decisão de forma precisa, garantindo que não tenha nenhum arrependimento em seguida.

Procure por referênciasDefiniu alguns modelos que se encaixam ao seu orçamento e também ao que necessita? Uma ótima maneira de fazer isso é ouvindo as opiniões de quem já comprou os veículos. Ou seja, a partir do feedback de outros consumidores é possível entender um pouco mais sobre os detalhes mais importantes, pontos positivos, negativos e, no fim, se vale a pena ou não ser comprado. Com a transformação digital, essa tarefa se tornou ainda mais fácil, já que é possível conferir reviews em páginas e fóruns na internet e até mesmo conferir vídeos no YouTube com o máximo de detalhes sobre cada veículo. Dessa forma, você tem acesso ao feedback mais natural e honesto possível, com informações que apenas quem utilizou o veículo pode ter.

Simule o financiamentoUma coisa é ser impulsivo ao comprar uma sobremesa após o almoço, outra é fazer isso na hora da compra de um carro. Por isso, ao se decidir pelo financiamento para a compra de um novo veículo, é necessário contar o com auxílio de uma simulação. Ou seja, quanto você vai precisar investir como entrada e quais vão ser as parcelas seguintes? Essa proposta cabe no seu orçamento inicial? Como se trata de um endividamento — por mais que seja controlado —, é importante avaliar todas as suas opções de negócio. De acordo com o seu histórico bancário, é possível solicitar um crédito pré-aprovado em seu banco com condições melhores do que as oferecidas inicialmente, por exemplo. Tudo isso permite uma decisão mais adequada para a sua saúde financeira. Analise a taxa de juros, verifique o tempo de duração das parcelas e, mais importante, coloque na conta a sua capacidade mensal de arcar com os pagamentos. Um financiamento mais longo e com parcelas menores todos os meses, mesmo com mais juros, pode ser mais indicado para que o seu padrão de vida, por exemplo, não seja tão impactado ou, pior, não gere mais dívidas. Portanto, ao simular o financiamento, é necessário calcular o impacto de cada parcela no seu orçamento mensal. E não se esqueça de adicionar os outros fatores na sua planilha de contas a serem pagas, como gastos com combustível, seguro do veículo, IPVA e até mesmo manutenção. Ao colocar todos esses números no papel, as chances de uma escolha adequada são ainda maiores.

Negocie com a concessionáriaCom todas essas informações em mãos, a sua escolha já está muito mais traçada. O processo, porém, ainda está longe de acabar. Agora, é o momento de negociar com a concessionária as melhores condições de preço para o seu bolso. Antes, já é necessário procurar pelos locais que oferecem os preços mais adequados para o que você procura, até mesmo para poder negociar. Por mais que nenhum financiamento seja livre de juros, isso não significa que qualquer taxa deva ser aceita durante a sua negociação. Uma forma de conseguir um maior poder de barganha é ter uma entrada maior como trunfo. Em muitos casos, é válido utilizar parte de uma reserva financeira guardada para reduzir as taxas de juros ou até mesmo o impacto mensal do financiamento. Caso você não queira colocar esses recursos em negociação, outra opção pode ser abater o valor de compra — servindo como entrada — com a oferta do seu veículo atual. Agora, são dois caminhos para conseguir mais recursos: o primeiro é lidar diretamente com a concessionária, enquanto o segundo pode ser a transferência entre pessoas físicas, por exemplo. O processo mais fácil e rápido é negociar com a concessionária, garantindo que a transação seja direta. Por outro lado, a tendência é que o valor oferecido em troca do seminovo não seja tão alto assim. Dessa forma, como opção, você também pode negociar com um terceiro, conseguir um preço mais elevado e, assim, ter o dinheiro em mãos para dar a entrada durante as negociações.

Faça o test drivePor mais que você tenha recebido excelentes referências sobre um determinado veículo e eles sejam bastante honestos, nada melhor do que conferir por conta própria, certo? De acordo com o estudo Brazil Sales Satisfaction Index (SSI), produzido pela J.D. Power, mais da metade dos brasileiros não realiza um test-drive antes de finalizar a compra de um novo veículo. Mesmo que o consumidor já conheça o modelo ou confie na recomendação, é importante fazer um teste. É a maneira mais adequada para avaliar os mínimos detalhes, desde o conforto que o veículo oferece até o desempenho nas ruas. O test-drive, portanto, não pode ser descartado e deve ser uma prioridade para quem deseja assegurar uma compra satisfatória. Nem mesmo a crise da COVID-19 pode ser uma justificativa para não realizar um teste. Serviços como o Hyundai Express permitem que você realize toda a jornada de compra online e de forma segura. Assim, até mesmo o test-drive pode ser solicitado e o carro entregue na sua casa para uma volta de testes. Essa é mais uma forma de garantir que a sua escolha seja a mais adequada.

Certifique-se da garantiaAo fazer um investimento tão alto, o mínimo que se espera em troca é alguma segurança. Por isso, é importante se certificar de que o veículo tem uma garantia e, é claro, se ela é adequada para as suas necessidades. Por mais que todos os automóveis que deixem uma fábrica tenham um período de garantia, existem variações de acordo com as montadoras, modelos e as condições para isso. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, o período mínimo de garantia de qualquer bem durável é de 90 dias. Porém, é comum que as montadoras ofereçam um período entre 3 e 5 anos para os seus clientes — mas isso não significa que você está totalmente protegido. É necessário avaliar as condições oferecidas em cada contrato para não se surpreender de forma negativa. Como a garantia oferecida pelas montadoras se trata de um contrato privado, as condições podem variar e, por isso, é fundamental saber exatamente o que está em jogo. Assim, você consegue entender o que é incluído e o que não vale para a sua garantia. Sem surpresas no futuro, fica mais fácil se proteger e se precaver de eventuais ocorrências.

Calcule os custos com seguro e manutençõesAlém dos valores de um financiamento, por exemplo, é necessário ficar atento aos custos com seguro e manutenção do seu veículo. Após a sua pesquisa, já é possível ter uma noção um pouco mais exata sobre a quantidade de manutenções que o modelo exige. Com tantos feedbacks disponíveis na internet, tudo pode ser acessado de forma simples e rápida, oferecendo mais dados. Ao contatar uma seguradora, um dos fatores analisados é o modelo do veículo, ou seja, você pode ter uma noção mais próxima de quanto vai precisar desembolsar para ter o seguro. O preço investido, por exemplo, não é um fator tão relevante, mas sim alguns índices, como a taxa de roubos do modelo escolhido dentro daquela cidade, o que reduz ou aumenta seu valor. Nesse momento, também é necessário considerar o histórico de sinistros que o motorista do carro se envolveu ou até mesmo a franquia escolhida. Todos esses detalhes vão fornecer um valor mais adequado e próximo do que vai ser investido com o seguro. Normalmente, o preço do seguro representa 5% do valor do veículo ao ano, o que já oferece um panorama mais claro. O mesmo vale para as manutenções, que também devem ser levadas em consideração. Nesse caso, é importante analisar as situações em que o veículo vai ser utilizado. Por exemplo, caso o carro seja muito utilizado em estradas, a tendência é que mais manutenções sejam necessárias. Tudo deve ser levado em consideração para saber, de fato, qual vai ser o impacto no seu orçamento.

Avalie o custo-benefícioTodos os tópicos acima reforçam a importância de analisar todos os fatores durante o processo de compra de um carro. Dessa forma, é possível ter uma noção mais exata do seu custo-benefício e, assim, assegurar que a compra seja satisfatória. Como mostramos, não adianta nada investir pouco na hora de finalizar a negociação se, ao longo do tempo, os seus gastos vão ser mais elevados. O que parecia barato inicialmente pode, assim, se tornar mais caro com as constantes manutenções ou mesmo um seguro mais elevado. O objetivo é considerar todo o contexto e o período em que você vai ter o carro. Afinal, os seus investimentos são mais amplos do que apenas o valor gasto durante a compra — sem considerar o longo prazo, a sua compra pode se tornar uma dor de cabeça. Aproveitar bons preços durante a compra, por exemplo, não pode ser descartado — uma promoção pode ser excelente para o seu bolso. Mas é importante não se deixar levar pelo momento e fechar uma transação sem avaliar o contexto como um todo. Com essa avaliação mais completa, as chances de arrependimento no futuro são reduzidas e o seu dinheiro é melhor investido. Para se ter uma ideia, o Summit Mobilidade Urbana 2019 indica que, em média, os proprietários de veículos no Brasil acreditam investir R$ 357,00 ao mês para manter os seus carros. Porém, o custo real é, na verdade, mais próximo R$ 2.000,00, já que é necessário considerar também o IPVA, manutenção e o seguro. Ou seja, o custo a ser calculado deve ser o mais preciso possível.

Leve em consideração a segurança e o conforto do veículoDentre os fatores analisados, também é importante pensar no conforto que ele oferece. Afinal, ainda de acordo com o Summit Mobilidade Urbana 2019, os deslocamentos diários de um brasileiro, em média, resultam em duas horas por dia no trânsito. Imagine investir os seus recursos na compra e, na prática, não se sentir confortável dentro do seu próprio carro. Da qualidade oferecida pelos assentos até mesmo o espaço para as suas pernas. O mesmo vale também para os recursos disponíveis dentro do veículo, como as funções de um painel ou a tecnologia para garantir uma melhor experiência ao motorista. Todos os detalhes importam para quem está dentro do carro e devem ser analisados para uma compra satisfatória. O mesmo vale para a segurança, já que é essencial proteger o seu bem-estar e também da sua família. Além de recursos como airbags, por exemplo, pode ser um diferencial encontrar os modelos que utilizem a tecnologia para oferecer mais segurança. Câmeras frontais, que podem identificar carros e pedestres e evitar um acidente ou até mesmo alerta de mudança de faixa, são bem interessantes. A tecnologia e a inovação são fundamentais em um cenário de transformação digital e se tornam ainda mais importantes quando falamos em segurança no trânsito. Querendo ou não, é mais uma forma de assegurar que o custo-benefício do seu veículo é realmente positivo. Afinal, não são apenas os fatores calculáveis que devem ser analisados, mas a sua experiência também.

Aproveite lançamento de versões reestilizadasAlguns modelos são reestilizados pelas montadoras, ou seja, recebem algumas atualizações em suas características e composição. Nem sempre a diferença é muito grande, mas pode ser o bastante para poder encaixar o modelo tão desejado ao seu orçamento.

Conheça a lista de equipamentosTambém é necessário conferir a lista de equipamentos do veículo. Tudo o que é de série e aquilo que pode ser opcional. Essa é uma etapa essencial para entender se os acessórios que você realmente precisa estão incluídos no seu veículo. Ao mesmo tempo, é uma maneira de evitar que o preço da sua compra se torne maior por conta de equipamentos que não são necessários. Para fazer uma compra de carros satisfatória, portanto, é essencial colocar no papel todos esses fatores antes de finalizar a transação. Analisando todos esses detalhes, a tendência é que a sua experiência de compra seja positiva e o veículo dure por mais tempo, sem causar muitas dores de cabeça. Além disso, é uma maneira de potencializar todos os benefícios da sua escolha. Agora que você já sabe o que analisar durante o processo de compra de carros, que tal ficar por dentro de outros tópicos relevantes para os seus veículos? Siga as nossas páginas nas redes sociais e confira as nossas publicações em primeira mão. Estamos no Facebook, no Instagram e no YouTube!

Sigam as nossas redes:

Veja também