1.   
    Home
  2.  > 
    Estilo de Vida
  3.  > 
    Como funciona o envelopamento de carros? Entenda mais sobre a técnica

Estilo de Vida 16/01/2021

Como funciona o envelopamento de carros? Entenda mais sobre a técnica

viajar de carro pelo nordeste

Quem nunca quis mexer em certas características do veículo? Procedimentos e acessórios podem ser úteis para melhorar aspectos de conforto, desempenho, economia e até estética. O envelopamento de carros, inclusive, se destaca entre essas estratégias por combinar diversas vantagens. Embora a técnica não seja nova no mercado de customização, faz pouco tempo que vem se popularizando no Brasil. E, ainda que o apelo visual seja um ponto importante, sua aplicação pode ter objetivos que vão além da mudança na aparência do automóvel. Que tal aprender mais sobre o assunto? Aproveite para tirar suas principais dúvidas!

O que é o envelopamento de carros?

Também conhecida como plotagem automotiva, essa técnica consiste em aplicar uma película fina na parte externa do carro. O material funciona como uma espécie de adesivo, que pode ser colocado por toda a lataria ou em áreas específicas — laterais, capô, traseira etc. Esse tipo de serviço foi tendência nos Estados Unidos durante a década de 90. Hoje, é cada vez mais procurado por brasileiros que desejam personalizar seus veículos. O envelopamento permite alterar a cor do carro e ainda protege a pintura original contra avarias. Há muitas opções de películas disponíveis para valorizar o design automotivo. Compostas, em sua maioria, de PVC Vinil e fibra de carbono, elas podem ser encontradas em tons e efeitos variados: de branco e preto para as cartelas coloridas, com acabamentos do tipo fosco ou brilhante.

Quais são as vantagens desse processo?

Um dos benefícios do envelopamento de carros está no baixo custo comparado à repintura. Vale lembrar que o preço para a aplicação da película varia conforme a empresa responsável, modelo do veículo, tipo de material, tamanho da área a ser plotada, entre outros fatores. Confira algumas das principais vantagens: - personalização — a técnica é indicada para quem procura o diferencial da exclusividade, já que possibilita a customização de acordo com o gosto dos proprietários; - alteração simples — o adesivo pode ser colocado em poucos dias. Mesmo os procedimentos mais longos demandam menos tempo que uma pintura tradicional; - marketing favorecido — quem tem empresa ou um pequeno negócio consegue aproveitar a técnica para estampar a marca nos veículos que compõem a frota; - proteção da pintura — o adesivo cria uma camada protetora sobre a lataria do carro, evitando que tanto arranhões quanto a ação das intempéries (sol, chuva, sereno) prejudiquem a pintura; - remoção rápida — como o envelopamento é reversível, a retirada da película pode ser feita em até 24 horas, deixando o carro pronto para uso; - facilidade de limpeza — a manutenção do material é bem simples e costuma envolver apenas o uso de produtos neutros. A duração do adesivo é de 2 a 10 anos, dependendo do fabricante e dos cuidados tomados durante o uso. Em todo caso, seja qual for o motivo da remoção, é importante procurar uma equipe especializada para evitar danos à pintura do veículo. Também é interessante destacar a possibilidade do envelopamento com poliuretano. Esse produto é transparente, ou seja, não altera nenhuma característica do veículo. Por ter alta resistência, sua finalidade fica limitada a proteger o automóvel de riscos e batidas leves.

Como ocorre a aplicação do material?

Os profissionais responsáveis por esse tipo de serviço são conhecidos como adesivadores. Eles fazem o procedimento parcial ou total na lataria manualmente, com um trabalho que dura em torno de dois ou três dias. O envelopamento de carros foi desenvolvido para ser aplicado em pinturas sem irregularidades e com verniz original. Assim, para os veículos que já têm repintura ou algum estrago na parte externa, compensa avaliar os riscos. Os instaladores saberão indicar se o material pode ou não ser colocado, a fim de minimizar imperfeições. Afinal, se a parte externa apresenta algum defeito antes do envelopamento, este poderá ficar evidente após a remoção da película (manchas, áreas opacas etc.).

Preparação do veículoO procedimento demanda bastante atenção para prevenir a formação de bolhas e outras deformidades, como material acumulado ou amassado. Para começar, a equipe faz uma limpeza geral no veículo, a fim de retirar partículas e desengordurar a parte externa. Depois, com o carro limpo e seco, o adesivo já pode ser colocado com o auxílio de algumas ferramentas: um soprador térmico para aquecer o material e deixá-lo maleável, espátulas para garantir aderência e contorno perfeitos, além de lâminas de corte para eliminar excessos. As cores básicas (preto e branco) estão entre as preferidas dos consumidores e aparecem nas versões brilhante ou fosca. Há quem utilize o material adesivo apenas para cobrir partes menores, como teto ou retrovisores, de modo a criar detalhes que diferenciem o carro dos demais.

Quais cuidados são necessários?

Experiência da empresa e procedência do material são os primeiros fatores a avaliar. Faça essa pesquisa antes de investir na técnica e não hesite em questionar sobre as etapas do processo. Dessa forma, você terá um envelopamento durável e de qualidade.

Após a aplicaçãoEvite sair de carro por longas distâncias nas primeiras horas. O veículo não deve ficar exposto ao sol intenso, nem ser lavado por três dias. Converse com a equipe responsável pela aplicação para obter o máximo de orientações.

Limpeza rotineiraA lavagem do carro com película deve ser feita apenas com produtos neutros. Uma mistura de água e sabão é suficiente para eliminar a sujeira do material. É importante evitar ceras, pastas e outras fórmulas abrasivas que possam corroer o adesivo.

Adequação à legislaçãoA lei impõe alguns limites quando o assunto é alterações nas características do veículo. Sobre a cor, por exemplo, ela permite uma modificação de até 50%. Além desse limite, considera mudança na coloração e, portanto, exige alteração na documentação do carro. Cabe destacar que, se o envelopamento for feito com película na mesma tonalidade da pintura original, o proprietário não precisa alterar o registro de cor. É o caso, por exemplo, de quem opta por um adesivo preto sobre tinta preta, independentemente do tipo de acabamento (fosco ou brilhante). Já aqueles que fazem envelopamento com cores muito diferentes da pintura devem ir ao Departamento de Trânsito (Detran) para indicar a mudança no veículo. Isso exige pagamento de uma taxa e processo de vistoria. Quem não faz a regularização fica sujeito à multa e apreensão. Ficou claro que o envelopamento de carros é uma alternativa interessante em muitos casos, não é? Porém, como todo procedimento de estética automotiva, precisa ser realizado por pessoas especializadas. Se você gostou deste tema e quer continuar conferindo outras discussões, assine a nossa newsletter!

Confira aqui 9 dicas para uma viagem de carro inesquecível!

Sigam as nossas redes:

Veja também