1.   
    Home
  2.  > 
    Descubra
  3.  > 
    Placa Mercosul: veja as principais dúvidas sobre o assunto

Descubra 04/10/2020

Placa Mercosul: veja as principais dúvidas sobre o assunto

A responsabilidade do motorista não é apenas conhecer o próprio carro, por isso, as regras e normas que precisam ser seguidas também devem ser conhecidas. Nos últimos anos, um assunto ganhou enorme repercussão no setor automotivo: a placa Mercosul. A mudança foi discutida por muito tempo, se concretizou em 2010, mas ainda gera muitas dúvidas.

Afinal, o que muda com essa placa para os países do bloco na América do Sul? A falta de comunicação, transparência e direcionamento das autoridades competentes acabou criando um universo de dúvidas sobre o real impacto dessa mudança. Quando começa a obrigatoriedade da mudança? Quais são os principais benefícios? O que muda na disposição da placa? Que tal tirar todas essas dúvidas sobre a placa Mercosul? Para ajudar você nessa tarefa, criamos este artigo completo sobre o assunto. Continue a leitura para tirar as suas dúvidas!

O que é e qual a proposta da placa Mercosul?

Antes de tirar as dúvidas, é importante entender um pouco mais sobre o que é e as razões que motivaram a criação da placa Mercosul. Seguindo a tendência que é adotada na União Europeia, os países do bloco econômico sul-americano — Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela — decidiram pela unificação dos sistemas de emplacamento de veículos. Ou seja, todos os países do Mercosul vão ter o mesmo modelo de placas em seus veículos. Mas por que essa medida foi adotada? Ao contrário do que muita gente pensa, o motivo não foi o fim das possibilidades de combinações, mas sim o maior controle dos veículos nesses países. Automóveis de carga, por exemplo, costumavam ter uma placa de cada país para poder rodar pelas fronteiras. Além de ser confuso para os motoristas, as próprias autoridades fiscalizadoras acabavam sendo prejudicadas pela quantidade de placas. A principal razão para a alteração, portanto, é justamente facilitar e integrar os sistemas de fiscalização de trânsito desses países. A ideia é que, em breve, todos os veículos dos países do Mercosul tenham o mesmo modelo de placas. No Brasil, esse vai ser o quinto sistema de emplacamento. O primeiro foi em 1901, nas cores pretas e, em seguida, passou para as cores amarela e vermelha. Nos anos 1970, foram colocadas em ação os modelos alfanuméricos, que mesclavam números e letras. Em vigor desde 1990, o quarto sistema foi o registro nacional, com a maior parte das placas cinzas, com três letras e quatro números.

Quais são as principais dúvidas sobre a placa Mercosul?

Mas, então, quais são as principais dúvidas sobre a placa Mercosul e, é claro, as suas respostas? É só continuar a leitura para descobrir tudo isso!

Quem é obrigado a trocar?Em um primeiro momento, apenas alguns automóveis precisam se adequar. Decidiu comprar um carro novo? Ao fazer o emplacamento da sua nova compra, é preciso colocar a placa Mercosul. Vai mudar de cidade? Então a alteração na placa também é necessária. Além disso, os veículos que mudaram de categoria (carro particular para táxi, por exemplo) também devem adotar o novo sistema. Outra condição que obriga o motorista a adotar a placa Mercosul é a inelegibilidade ou a reprovação na vistoria pelo órgão responsável. Alguns motoristas, porém, podem preferir realizar a troca sem serem obrigados. Para que isso aconteça, portanto, basta ir até o Detran da sua cidade para ter mais informações sobre o procedimento de mudança.

Qual o valor dessa mudança?Para dirigir o seu carro com a nova placa Mercosul, é preciso desembolsar um valor. O ponto principal, porém, é que o valor é diferente de região para região. Em São Paulo, por exemplo, o valor máximo cobrado para a mudança na hora do emplacamento é de R$ 138,24. Já no Amapá, o preço é de R$ 500,00. Ou seja, cada local tem um preço e você deve se informar no Detran da sua cidade.

Quando ela será obrigatória para todo o Brasil?Por enquanto, não existe nenhuma definição sobre uma data para a troca obrigatória de todos as placas no Brasil. Sendo assim, caso o seu veículo não esteja dentro das especificidades citadas anteriormente, ainda é possível aguardar pelo posicionamento oficial das autoridades responsáveis.

Como os modelos vão ser diferenciados?No sistema atual, as placas em cores diferentes sinalizam, por exemplo, que um veículo é de colecionador ou um táxi. Agora, o padrão branco e azul sempre vai se repetir, a única coisa a ser modificada é a cor da sequência alfanumérica e a sua borda.

Quais são os outros benefícios dessa mudança?Outro ponto positivo da placa Mercosul é o ganho em novas combinações possíveis. O sistema em vigor até a última mudança já estava saturado, especialmente com o crescimento exponencial da frota de veículos. Anteriormente, eram 175 milhões de combinações possíveis e, agora, esse número chega aos 450 milhões de possibilidades, ampliando o leque para registro de novos veículos. Ao ficar por dentro de todas essas mudanças, você garante que o seu veículo esteja sempre em dia com as autoridades e órgãos responsáveis. Além de pensar na segurança dentro do carro, é preciso assegurar que as normas e responsabilidades também sejam cumpridas. Por isso, identifique se o seu veículo está entre aqueles que precisam mudar para a placa Mercosul ou quando a troca deve ser feita.

Quer dicas de como transportar seu pet no carro?

Sigam as nossas redes:

Veja também